60 anos de história

Em 2017, vamos comemorar 60 anos de existência do IF Campus Machado, uma história de muitas conquistas que se confunde com os grandes acontecimentos Nacionais e as definições das políticas educacionais. Nesse sentido, quero apresentar sucintamente cinco momentos que considero fundantes em nossa história.

Primeiro momento: é o da criação da escola, que foi inaugurada oficialmente em 3 de julho de 1957, como Escola de Iniciação Agrícola. Esta criação está vinculada ao decreto número 9613/20 de agosto de 1946, chamado de lei orgânica do ensino agrícola, que por sua vez, está situada em um projeto de industrialização do Brasil, um projeto Nacional que trazia para o ensino agrícola nova orientação, a da tecnificação de produção.

Segundo momento: as décadas de 60 e 70, onde as escolas passaram a ter um estreito vínculo com as grandes empresas. Condizente com o modelo desenvolvimentista na década de 60, as escolas procuraram se ajustar as demandas das grandes empresas e de conglomerados industriais, voltados ao desenvolvimento de tecnologias agrícolas. Podemos citar como exemplo local, um fato relatado na reportagem da Folha Machadense, em outubro de 1982, onde se registrou a presença do gerente de relações governamentais da Monsanto, Sr. Rodrigues da Silva, para entregar equipamentos para fins didáticos, na instituição. Era o tempo da revolução verde e do modelo Escola Fazenda.

O terceiro momento: nos anos 90, com a reforma da educação profissional, orientada pela concepção de Estado Mínimo, visando à preparação de profissionais para atender as demandas da globalização. Nesse momento, se situa a criação da FADEMA (Fundação de Apoio Desenvolvimento e Ensino de Machado),  atuando como terceiro setor na captação de recursos e implantação de diferentes ações. A referência norteadora desse época foi o projeto lei (PL) 1603/1996, que previa a criação de um sistema de educação profissional independente da educação regular, com a separação formal do ensino técnico da educação básica.

O quarto momento: a partir de 2003, com a expansão da Rede Federal que vai de 138 escolas para 252 unidades, com o aumento de 82,60% em relação às escolas que haviam sido criadas durante 100 anos de existência. Temos como referência, a transformação das Escolas Agrotécnicas em Institutos Federais, com a lei n 11892/2008, em uma perspectiva de integração da educação profissional com ensino médio. A escola de Machado passou nesse período por um crescimento significativo, com a criação de novos cursos e a construção de novas estruturas físicas.

O quinto momento é o que estamos vivenciando. Momento de grande turbulência na política nacional,  de encruzilhada histórica, marcada por uma verdadeira mudança de época e não apenas uma época de mudança. Presenciamos grandes avanços. Pois, hoje, a escola possui 19 cursos e 1 mestrado profissional, com a presença de 3 mil alunos, projetos inovadores em diferentes áreas do conhecimento, juntamente, com a ampliação de sua estrutura.

Penso que, para enfrentarmos os desafios atuais é de fundamental importância continuarmos a integração regional. Se consolidar, cada vez mais, como Centro de Desenvolvimento Regional, atendendo a diferentes demandas, em uma perspectiva pluralista, de convivência com diferentes concepções. Pois, na educação não se pode impor um modelo, mas sim, propor uma formação.

Estamos em um mundo onde o conhecimento é um fluxo e não é possível mais estocá-lo, guardá-lo nos meios acadêmicos. Com aprofundamento dessa inteligência coletiva, se faz necessário, cada vez mais, um trabalho cooperativo entre campus, região e a sociedade como um todo. Nesse período de celebração dos 60 anos de nossa escola, precisamos olhar nossa história e ter a consciência de ser o que somos, para ser o que devemos ser.

15094336_112568935894512_4004319001823990106_nRoberto Camilo Orfão Morais

Professor da área de Ciências Humanas do IFSULDEMINAS-Machado.