Jornada Científica

9ª Jornada Científica e Tecnológica e 6° Simpósio de Pós-graduação do IFSULDEMINAS reúnem centenas de participantes.

DSC 0164

A 9ª edição da Jornada Científica e Tecnológica e do 6° Simpósio de Pós-graduação do IFSULDEMINAS teve início da manhã de hoje, 8/11, com a abertura no Espaço Sociocultural do Campus Machado. O Diretor Geral, Carlos Henrique Rodrigues Reinato, abriu a cerimônia e deu as boas-vindas aos participantes. Estiveram presentes o Reitor, Marcelo Bregagnoli; o Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação, José Luiz de Andrade Rezende Pereira e o Pró-Reitor de Extensão, Clebér Ávila Barbosa, além do coordenador geral de extensão, André Delly Veiga.

A realização é da Pró-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Inovação e do Núcleo Institucional de Pesquisa e Extensão do Campus Machado, que somam um total de 50 colaboradores entre docentes, técnicos e alunos. Alguns servidores atuaram como diretores de modalidade e avaliadores de resumos, além de contar com 100 avaliadores presenciais.

Sobre a Jornada

A Jornada é um evento acadêmico multidisciplinar que possibilita a socialização de novos conhecimentos construídos no IFSULDEMINAS e em outras instituições. Essa edição contará com apresentações de palestras e trabalhos científicos. Uma das propostas é favorecer a relação entre pesquisadores regionais, criando oportunidade para que os bolsistas de iniciação científica apresentem suas produções, projetando os trabalhos acadêmicos institucionais e regionais e promovendo o intercâmbio entre pesquisadores.

Neste ano foram 514 trabalhos aceitos na plataforma OCS. Deles, 42 serão apresentados de forma oral nas salas de aula. Nesses dois dias de evento a apresentação dos 472 pôsteres ocorrerá no Ginásio Poliesportivo. Além disso, 16 trabalhos que foram aprovados no Edital de Inovação da Pró-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Inovação serão apresentados em forma de PITCH e quatro trabalhos do programa de bolsas PIBITI – CNPQ, serão mostrados em sala de sigilo.DSC 0117

Uma palestra sobre “Atitude empreendedora e cultura de inovação nas organizações de hoje”, ministrada pelo empresário Paulo Emediato deu início aos trabalhos desta edição. Segundo Paulo, o objetivo é humanizar e sensibilizar os participantes da necessidade de inovar. “Às vezes tratamos a inovação como algo distante. Quero mostrar que são os pequenos comportamentos, que podemos praticar todos os dias, que vão nos ajudar a ter um modelo mental mais flexível e adaptativo para que, no futuro, possamos, com menos ansiedade, realizar ações simples”. Sobre a Jornada, “primeiro, é super importante quando as pessoas se conectam. Segundo, é reconhecer o trabalho que foi feito. E terceiro, é ter a oportunidade de ter acesso a novos conteúdos e conhecimento”.

Depoimentos

Para o Diretor, Carlos Henrique, é uma satisfação ver a proporção que a Jornada tomou. “Ela nasceu aqui no campus Machado por meio da vontade de fazer uma amostra de trabalhos científicos. Naquele momento foi uma coisa bem local. No segundo ano, já tentamos envolver outras instituições e, a partir daí, tomou uma notoriedade institucional e passou a crescer e ter proporções cada vez maiores. Sentimos muito orgulho de sermos os pioneiros. É fundamental incentivarmos a pesquisa. Desde o início caminhamos junto. Hoje, vemos o tripé completo: a pesquisa e a extensão, com a mesma importância do que as atividades de ensino”.

O Reitor, Marcelo Bregagnoli, ressaltou os resultados qualitativos da Jornada. “Ela mostra nossa função de existência. Pois essas ações da pesquisa e extensão vão de encontro às demandas da nossa sociedade. Isso só é possível com uma visão inovadora do gestor. Devemos buscar alternativas. Estamos em um momento em que, é triste falar, mas é de manutenção das atividades e, mesmo assim, vamos muito além. Precisamos buscar parcerias. Diminuir os muros e aumentar as pontes. É o espírito da tríplice hélice: governo, empresa e instituição”.

DSC 0184Segundo o Coordenador Geral de Pesquisa e Pós Graduação, André Delly Veiga, é muito importante divulgarmos a cultura de pesquisa e inovação do Instituto. “Na primeira edição começamos com menos de 100 trabalhos e hoje temos mais de 500. Abrangemos vários áreas e damos a oportunidade dos estudantes conhecerem a pesquisa e a inovação, que é um novo viés que temos trabalhado. O nosso aporte interno para as pesquisas, principalmente do campus Machado, só tem aumentado. Então, mesmo com a diminuição do orçamento temos mantido o número de bolsas, editais e todo apoio aos pesquisadores”.

José Luiz, Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação falou sobre a importância do apoio aos trabalhos. “Para muitos, essa é a primeira vez em um evento técnico científico. Além disso, é um momento de mostrarmos a prestação de contas dos investimentos que recebemos. Enquanto observamos no país um corte orçamentário muito grande, principalmente nas áreas de tecnologia e em ações que promovam a pesquisa, o desenvolvimento e a inovação no país, graças a um esforço muito grande dos nossos gestores, conseguimos manter um aporte financeiro, principalmente no programa de bolsas”.
Para o pesquisador da UFRJ e avaliador do CNPQ, Marcos Gervásio Pereira, a jornada é a porta de entrada do aluno para a ciência. “É estimulante! Através desse contato eles vão se interessando. Começam a aspirar a entrada em uma pós graduação, mestrado e doutorado. Pela ciência podemos contribuir para um mundo melhor para nós e para as futuras gerações”.

Texto: Jacssane Andrade.

Revisão: Camilo Barbosa

[email protected]

08/11/2017